Doença de Crohn: quando parar a medicação

Uma grande dúvida dos pacientes que possuem a Doença de Crohn é: “Estou bem , posso parar com os remédios?”.

Por ser uma enfermidade que não possui uma causa definida e agir sob efeitos de crises dos sintomas, muitos pacientes acabam se enganando quando se trata de saber estabelecer uma boa situação e resposta do corpo em relação a doença.

Assim, nossos especialistas separaram esse material em busca de te ajudar a saber mais sobre esse assunto. Continue a leitura!

O que é a Doença de Crohn?

A Doença de Crohn é uma enfermidade crônica caracterizada por um processo inflamatório que pode afetar qualquer parte do sistema digestivo, sendo o principal afetado, o intestino.

A doença de Crohn é imprevisível. Alguns pacientes não possuem nenhum sintoma até que ocorra um surto ou iniciem as reclamações, que se modificam ao longo de um período.

A reação é diferente sempre, porque a doença de Crohn não progride da mesma maneira em todos os pacientes, o que também dificulta o diagnóstico e o controle dos sintomas.

Por exemplo, a diarreia, cólica abdominal, perda de apetite e emagrecimento são os mais comuns. Às vezes, há febre e sangramento retal. 

Como funciona o tratamento da Doença de Crohn?

O tratamento da Doença de Crohn tem o objetivo de controlar a resposta inflamatória anormal do sistema imunológico, permitindo o alívio de sintomas como diarreia e dor abdominal. Além da recuperação dos tecidos intestinais.

O tratamento também reduz o risco de complicações relacionadas à doença, que podem levar a necessidade de internações hospitalares e cirurgias.

Existem vários grupos de fármacos utilizados no tratamento da Doença de Crohn, sendo o mais utilizados no tratamento a longo prazo, os imunossupressores e os imunobiológicos.

O tratamento de cada paciente é individualizado, e sabemos que o uso contínuo das medicações é o que permite longos períodos de remissão da doença.

Posso parar com os remédios quando me sentir melhor?

Parar as medicações por conta própria é incorreto, e pode desencadear o reaparecimento dos sintomas, inclusive cada vez mais graves, conforme o tempo da doença.

A melhor atitude a tomar é a decisão compartilhada do paciente com o médico desde o início do tratamento, para que não haja dúvidas ao longo do percurso. Afinal, a doença de Crohn ainda não tem cura.

Cada paciente é um paciente, porém o que todos têm em comum é a necessidade de um tratamento contínuo e acompanhamento médico especializado regular!

Então, lembre-se, somente seu médico poderá aconselhá-lo na abordagem desta condição.

Conte com ajuda de profissionais qualificados

Ficou com maiores dúvidas? Procure um especialista! Afinal, A Gastrolife possui uma equipe preparada para atender nossos pacientes, desde a recepção até o momento de consulta. Podemos ajudar você!

Gostou do nosso conteúdo? Leia mais notícias sobre saúde digestiva no blog da Gastrolife!

Ficou com alguma dúvida ou deseja marcar uma consulta? Entre em contato através dos nossos telefones: (21) 3547-5563 ou (21) 98020-8081 (WhatsApp).  09

Gostou? Compartilhe com os amigos!

WhatsApp
Facebook
Twitter
LinkedIn
Email

Agende aqui sua consulta

ou exame!

Este formulário é um pré-agendamento e em breve nossa equipe entrará em contato com você!

Prefere agendar por Whatsapp?
Agendar Consulta
Agendar Exame

Dra. Bruna Puente

Gastroenterologia & Endoscopia

CRM 52.0102944-4

Médica graduada pela Faculdade de Medicina Souza Marques, possui residência médica em Clínica Médica pela Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro (UNIRIO) e residência em Gastroenterologia pela Universidade Federal Fluminense (UFF). 

Atua no diagnóstico, prevenção e tratamento das doenças do aparelho gastrointestinal (refluxo, gastrites, úlceras, doenças inflamatórias intestinais, síndrome do intestino irritável) e doenças do fígado (esteatose, hepatites, cirrose hepática) entre outras. 

Na Gastrolife atende consultas em Gastroenterologia e Hepatopatologia. Além disso realiza endoscopia digestiva.

Apaixonada pelo hepatologia,  integra também a equipe de transplante hepático em Hospitais privados

Gostou? Vem conhecer!☺